Membro da diretoria da Mupan, Rose Mary Araujo é representante em evento promovido pela Rede Cerrado

07/05/2019

Roda de debate durante o evento da Rede Cerrado, Brasília (DF). Foto: Arquivo PCA-Pantanal
Roda de debate durante o evento da Rede Cerrado, Brasília (DF). Foto: Arquivo PCA-Pantanal

De 06 a 09 de maio, Brasília (DF), será palco para debater estratégias e perspectivas territoriais do bioma que ocupa 24% do território brasileiro - o Cerrado.

Nesse período está sendo realizada a Assembleia Geral da Rede Cerrado, cujo escopo é avaliar resultados de 2018 e planejar atividades conjuntas para o ano de 2019, dentre elas a realização do Encontro e Feira dos Povos do Cerrado, previsto para acontecer em setembro deste ano.

Durante a Assembleia, foi eleita a nova coordenação diretiva para estar à frente da entidade nos próximos três anos, sendo conformado pelas entidades: Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB) e Mobilização dos Povos Indígenas do Cerrado (Mopic) - Coordenação Geral; Fundação Pró-Natureza (Funatura) e Mulheres em Ação do Pantanal (Mupan) - Coordenação Administrativa-Financeira; Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN), Associação de Áreas de Assentamento de Assentamento do Estado do Maranhão (Assema), Planeta Verde, Associação Regional de Mulheres Trabalhadoras Rurais do Bico do Papagaio (Asmubip), Associação dos Trabalhadores Rurais do Vale do Corda (ATRVC) - Conselho Fiscal.

Os dias 08 e 09 serão dedicados a II Oficina de Territórios da Rede Cerrado, como parte da programação, ocorrerá uma mesa de diálogos com membros da atual gestão do governo federal e representantes de indígenas, quilombolas, quebradeiras de coco babaçu, geraizeiros, raizeiras, extratvisitas, entre outros povos tradicionais do Bioma.

A Rede Cerrado é uma das instituições parceira do Programa Corredor Azul, da Wetlands International, implementado no Brasil pela Mupan - Mulheres em Ação no Pantanal. Conheça o Programa: www.corredorazulpantanal.org